Twitter Updates



     
      Febre Amarela

     

    O que é febre amarela?

    A febre amarela é uma doença viral aguda, imunoprevenível, transmitida ao homem e a primatas não humanos (macacos), por meio da picada de mosquitos infectados.

     

    Quais os sintomas provocados pela febre amarela?

    A febre amarela é classificada como uma doença infecciosa grave. Ela provoca febre, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Os primeiros sintomas aparecem de 3 a 6 dias depois da infecção. Aos primeiros sinais, procure um serviço de saúde.

     

    A febre amarela é contagiosa?

    A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela.

     

    Como se previne febre amarela?       

    A principal forma de prevenção da febre amarela é por meio da vacinação.

     

    Existe tratamento para a febre amarela?

    Não existe um tratamento específico, é apenas sintomático. Os pacientes que necessitarem de hospitalização devem ter uma cuidadosa assistência, permanecendo em repouso, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado.

     

    É verdade que os macacos transmitem a febre amarela?

    Não. Os macacos não transmitem a febre amarela para o homem e não são os responsáveis pela transmissão da febre amarela. A febre amarela é transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da doença.

     

    Posso afirmar então que os macacos são fundamentais para o controle da doença?

    Com certeza. Os primatas prestam um importante auxílio no controle da febre amarela, dando às autoridades informações valiosas sobre a circulação do vírus. O achado de macacos mortos serve de alerta para que os órgãos de saúde pública iniciem campanhas de vacinação. Algumas pessoas pensam que os macacos transmitem a febre amarela aos humanos, o que é completamente errado. Além de ilegal e de tornar mais crítico o estado de conservação desses animais, a matança indiscriminada, assim como o envenenamento intencional de macacos são extremamente prejudiciais ao próprio homem. Se eles forem mortos pelo homem, descobriremos que a febre amarela chegou a determinada região apenas quando as pessoas contraírem a doença.

               

    O que devo fazer se encontrar um macaco doente e/ou morto na minha região?

    No caso de encontrar um macaco doente e/ou morto, o cidadão deve acionar o setor zoonoses do município para que as devidas providências possam ser tomadas a contento. A partir da denúncia, o profissional da zoonoses acionado verificará se o animal morto apresenta condições de coleta e envio para exames laboratoriais. O procedimento de coleta é específico e deve ser realizado por profissional habilitado para tal.

    A febre amarela urbana e a febre amarela silvestre são a mesma doença? Há diferenciação dos sintomas ou gravidade?

    Sim, tanto a febre amarela silvestre quanto a urbana têm manifestações clínicas idênticas em ambos os casos de transmissão. O vírus e a evolução clínica são os mesmos; a diferença está apenas nos vetores. No ciclo silvestre o vetor da febre amarela são os mosquitos Haemagogus e o Sabethes. Já no meio urbano, a transmissão se dá pelo Aedes aegypti.

               

    Existe a possibilidade de uma pessoa infectada na área rural ir para a cidade, infectar mosquitos e iniciar a transmissão em área urbana?

    Sim, existe essa possibilidade. Por isso, a prevenção por meio da vacinação e da eliminação dos criadouros do Aedes aegypti é fundamental.

     

    É verdade que pessoas vacinadas contra a Febre Amarela contraíram a doença?       

    Sim. Porém, dentre os quase 18 milhões de vacinados no Estado de Minas Gerais, há registro de 11 (0,000061%) pacientes com histórico de vacinação prévia e exame positivo para febre amarela, bem abaixo do preconizado pela literatura. Esses pacientes permanecem em investigação, e uma comissão está investigando os casos, com a participação do Ministério da Saúde. A eficácia da vacina contra febre amarela é superior a 95%, o que é considerada uma elevada taxa de eficácia, sendo considerada imprescindível para a prevenção da transmissão do vírus.

     

    Como medida adicional, para a população mais exposta à circulação do vírus, a Secretaria de Estado de Saúde e o Ministério da Saúde recomendam, também, a utilização de repelente como medida de proteção individual. É importante salientar que a recomendação preconizada pelo Regulamento Sanitário Internacional da Organização Mundial de Saúde, ratificado pelo Ministério da Saúde, é de que uma única dose da vacina contra Febre Amarela confere proteção contra a doença.

               

    É verdade que o vírus da Febre Amarela sofreu mutações e que a vacina já não é tão eficaz para a prevenção da doença?

    Não é verdade. Um estudo realizado pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) para acompanhar possíveis mudanças genéticas no vírus da Febre Amarela realmente identificou mutações no vírus, resultado publicado em 2017. Porém, como divulgado textualmente na própria comunicação original da Fiocruz, em 2017, não há qualquer impacto destas mutações que comprometa a eficácia da vacina oferecida pela Sistema Único de Saúde (SUS).

               

    Qualquer pessoa deve se vacinar contra a Febre Amarela?

    Toda pessoa acima de nove meses de vida que mora ou vai viajar para área rural, de mata ou silvestre deve procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para se vacinar contra a Febre Amarela. A vacina é gratuita e oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Idosos acima dos 60 anos e gestantes devem ser avaliadas por uma equipe de saúde em relação ao benefício e risco da vacinação, levando em conta o risco de eventos adversos.

               

    Não me lembro se já vacinei contra Febre Amarela. O que eu faço?

    A vacina contra a Febre Amarela faz parte do calendário de vacinação do SUS, por isso se você tiver com a sua imunização em dia provavelmente você já se vacinou. Basta conferir o seu Cartão de Vacinação. Mas, caso ainda tenha dúvida, procure a equipe de saúde na Unidade Básica de Saúde (UBS) para fazer a avaliação e a necessidade de se vacinar.

               

    Quantas doses da vacina são necessárias para a imunização completa contra a febre amarela?

    Seguindo recomendação da Organização Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde adotou os padrões internacionais da dose única. Ou seja: quem tomou 1 (uma) dose da vacina da febre amarela em qualquer fase da vida está imunizado pelo resto da vida, e não precisam do reforço.

     

    Quem não pode tomar a vacina contra a Febre Amarela?

    Gestantes, bebês com menos de 6 meses (e mulheres que amamentam crianças até essa idade), alérgicos a ovo e imunodeprimidos por doenças como câncer e Aids ou por tratamento, como no caso de radioterapia. Pessoas com doenças autoimunes devem ser avaliadas caso a caso. Em situações emergenciais, a imunização deve ser avaliada por um profissional de saúde.

     

    Se eu não posso tomar a vacina, como me proteger da Febre Amarela?

           

    Para as pessoas as quais a vacina não é recomendável o ideal é evitar áreas de mata em regiões com casos da doença, além de se proteger das picadas. Algumas formas de colocar isso em prática são: usar repelente, evitar áreas silvestres, vestir roupas compridas e claras, usar mosqueteiros e telas, e evitar perfume em áreas de mata.

     

    Pessoas com mais de 60 anos podem se vacinar?

    Pessoas com 60 anos ou mais, que nunca foram vacinadas contra a febre amarela anteriormente, ou sem o comprovante de vacinação, deverão consultar a equipe de saúde para avaliação de possíveis contraindicações da vacina, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos nesta faixa-etária.

    Mulheres que estão amamentando podem se vacinar contra a Febre Amarela?

    A vacinação é contraindicada para lactantes de bebês menores de 6 meses. Na impossibilidade de adiar a vacinação – como em caso de surtos e epidemias ou viagem para área com risco, a mãe deve antes da vacinação praticar a ordenha do leite e manter congelado por 28 dias em freezer ou congelador.

     

    A partir de quantos meses um bebê pode se vacinar?

    O calendário de vacinações indica a imunização a partir dos nove meses de idade. Caso a criança resida em de transmissão ativa da febre amarela (na qual há morte de macacos com suspeita da doença, e casos em humanos), o bebê pode ser vacinado a partir dos seis meses de idade.

     

    Não tenho Cartão de Vacina; o que devo fazer?

    Você deve procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa para fazer um novo Cartão de Vacina pelo SUS, e assim, se vacinar normalmente. Lembre-se: o cartão é um documento muito importante que reúne todo o seu histórico vacinal durante a vida. Por isso, o guarde com cuidado.

     

    Acabei de me vacinar contra a Febre Amarela. Posso doar sangue?

    Quem tomou vacina contra a Febre Amarela necessita de um intervalo de 30 dias para realizar uma doação de sangue.  As pessoas ainda não imunizadas podem, no mesmo dia, doar sangue e, depois, se dirigirem a uma unidade de saúde para receber a vacina da febre amarela.

     

    Vale destacar que durante o período de férias e Carnaval, historicamente, o estoque de sangue da Fundação Hemominas sofre uma redução de aproximadamente 30%. Aliada a essa sazonalidade, a ocorrência de casos de febre amarela pode agravar a situação, tendo em vista que o tratamento  de suporte aos pacientes infectados pode demandar o uso de grande quantidade de hemocomponentes. Por isso, antes de se vacinar, procure um Hemocentro e salve vidas.

               

    O que é dose fracionada da vacina febre amarela? Minas Gerais adotou a dose fracionada?

    É a utilização de um quinto (1/5) de uma dose padrão (0,5 mL) da vacina febre amarela (VFA), ou seja, 0,1mL. Retira-se do frasco da vacina uma dosagem menor do que habitualmente é utilizado. No entanto, a proteção e segurança da dose fracionada é a mesma do que a dose padrão. A diferença está no tempo de proteção, que na dose padrão é para toda a vida, e com a dose fracionada, de pelo menos 8 anos. O fracionamento de doses é uma orientação do governo federal (Ministério da Saúde) para alguns estados brasileiros. Minas Gerais não está entre esses estados e não utilizará o fracionamento de doses.

     

    Fonte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais