Twitter Updates



     
    Espalhe por aí                  Visualizações: 324


    05/12/2018 às 11:55:55
    Rio Pomba em meio à crise do Estado de Minas Gerais

    créditos:

    A maioria dos municípios de Minas Gerais estão passando por dificuldades financeiras devido aos atrasos nos repasses do Governo Estadual. De acordo com os dados do último levantamento da Associação Mineira de Municípios (AMM) o valor dos atrasos já alcançam R$9,7 bilhões em todo estado e em Rio Pomba o valor já ultrapassou os R$ 6 milhões de reais.

    A quantia deveria ser destinada à saúde, educação, transporte escolar e assistência social, provenientes da arrecadação do ICMS, FUNDEB, IPVA, multas de trânsito, entre outros. Devido à falta de repasses, algumas cidades já realizaram cortes de verbas em diversos setores e outras chegaram até mesmo a decretar estado de calamidade financeira. Mais de 300 prefeituras buscaram auxílio junto à AMM para entrar com ações judiciais contra o Estado.

    O estado de calamidade financeira compromete o pagamento de servidores municipais e fornecedores, assim como a manutenção e execução dos serviços públicos. O presidente da AMM, Julvan Lacerda, considera que a situação é lamentável. “Servidores sem salários, fornecedores sem pagamentos, alunos sem escola, obras paralisadas, postos de saúde sem remédios. Essa é a realidade de centenas de municípios mineiros”.

    Em contrapartida, o Município de Rio Pomba resguardado por uma gestão técnica e transparente vem se preparando financeira e administrativamente para a crise desde o início da atual gestão, poupando recursos e garantindo os serviços primordiais. A cidade também sofre com a falta dos repasses por parte do Estado, entretanto há uma segurança financeira para que servidores, fornecedores e cidadãos rio-pombenses não sintam diretamente os impactos da crise econômica.

    O município vem arcando com recursos próprios os valores relacionados a SAÚDE, EDUCAÇÃO e ASSISTÊNCIA SOCIAL. Devido a tal situação alguns serviços estão sendo priorizados frente a outros, por isso pedimos compreensão à população e esperamos que a regularização da situação financeira do Estado se dê em breve.

    Continuamos juntos.

    COMPARTILHE O LINK DA MATÉRIA